quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

.Do amor... - parte I.



"Descobrir o verdadeiro sentido das coisas é querer saber demais"


Esperei durante muito tempo por um amor que eu não tinha.
Um amor que era maior do que o que eu tinha a mim, e que só vim a descobrir o quão me fazia mal depois de muita lágrima caída, noites mal dormidas, colheres de brigadeiros e falsos regimes forçados. Talvez também com a descoberta de um novo amor. Pode ser.
O fato é que durante quase cinco anos eu amei feito louca uma história que era só minha. Uma história que deveria ser vivida a dois (quem sabe não foi.. a vida prega cada peça!), mas que acontecia apenas no meu filme de fita cor-de-rosa.
Mas era bonito.. sempre achei bonito.. era uma tristeza bonita!
Amei desesperadamente... e ele soube disso a todo instante. Não se pede amor! Eu aprendi que não se pede amor... e foi isso que me despertou!
Havia (e haverá sempre) aquela amizade também... amizade presente mesmo longe... amizade estranha que só a gente entende... amizade que é a coisa que sempre vai ficar em nós.. que é coisa repartida... é coisa vivida.. que nada tira da gente.
E veio a descoberta do novo amor.. do amor que agora compartilha.. que agora ama sem esforço... e que não me maltrata.. que ao contrário.. cuida.. me faz bonita.. interessante... alegre.
E aquele amor daquela amizade outra vai ficar como lembrança bonita de se descobrir coisa verdadeira por alguém. É a nossa herança... é a nossa porta pro novo.
Viver agora aquilo que se transforma a cada dia na coisa mais linda de ser vivida...
Melhor que amar alguém.. é ser amada também.. e é amor bastante... e é amor a ser descoberto dia a dia.. num piscar de olhos bonitos.. num soar de palavras doces.. nos gestos afetuosos.. na saudade consentida.
Quanto aquele outro... guardo no peito as boas lembranças... e sustento com afinco a amizade de sempre... prá sempre.. que é assim que é!

Vou descobrir dessa história que essa vida é mesmo muito louca!
Vou me surpreender as vezes.
As vezes vou gostar.. as vezes vou ficar confusa.. outras querer que tudo fosse diferente.
Mas quero o gosto do inesperado... quero descobrir as coisinhas miúdas das miudesas da vida.
Quero não saber demais!
Isso vai me confundir.. isso vai me fazer triste por dez segundos..
Respira!
Solta a última lágrima!
Aperta o peito com o inesperado..
Ama-o pela última vez.
Levanta-te a cabeça..
Esquece!
Respira mulher, respira!
Vive o amor de agora com afinco.
Ama..
e segue!


..depois penso melhor sobre isso...


(...)

4 comentários:

meumundocomigosemmim disse...

Minha Eterna Flor de Lis...
Sabes q o amor é o sentimento mais nobre e doce q o ser humano possui...talvez, nem mesmo os deuses saibam o taum quão gde é essa força proporcionada pelo amor, q é capaz de mover montanhas.Lendo o seu texto, pude sentir uma enorme felicidade, acompanhada de uma nostalgia vivida de pelos momentos q vc passou, mais q foram apenas TEU.Vc é um dos verdadeiros significados de um amor puro e singelo...ama bunito, é gostoso de ver, sentir, tenho o privilégio de ser amado por vc...sua amizade é o amor mais lindo e mais seguro q um amigo pode desejar.Entendi seu texto, seu desabafo...e vai por mim, vc sempre, sempre seras amadas com afinco, pq vc ama verdadeiramente, e as pessoas q amam de forma limpa e profunda, tem a reciprocidade garantida.Quero muito continuar vendo essa alegria em tuas palavras e em seus sorrisos singelos e doce...alavanca qualquer pessoa....vc é iluminada, um verdadeiro anjo, q vives a cuidar de mim, pobre mortal q é eternamente grato e afortunado por saber q tens vc.
Super bju minha amiga...vamos na batalha...estou na torcida por vc, ontem, hj e sempre...

Clara disse...

Que lindo texto, simples, verdadeiro...

Sandra Alves disse...

Ah o amor. Sempre o amor...

Andjara disse...

Poxa pulga....

como sempre escrevendo maravilhas, ne?

e dessa vez bateu lá no fundo... e eu diria que "qualquer semelhança é mera coincidência"

quantas vezes conversamos sobre esses nossos corações partidos por esse amor unilateral....

fico muito feliz que hoje seja apenas uma boa lembrança.... infelizmente não posso dizer o mesmo do meu, muito menos em relação à amizade.... mas continuo aberta e à espera do amor que compartilha... quem sabe um dia....

Beijo na alma!